Contato:   +55 (11) 94557.1298

foto óleo

Contaminante 2: Óleo

A maioria dos compressores de ar utiliza óleo para lubrificar e resfriar no estágio da compressão. Durante a operação o óleo lubrificante degradado é transportado para a linha, atingindo o sistema de ar comprimido. Sua mistura com o vapor de água resulta em uma emulsão ácida que causa danos no sistema de armazenamento, na distribuição do ar comprimido, nos equipamentos e no produto final. Por esta razão é tão importante eliminar o óleo da rede.


Como eliminar o óleo?

Óleo líquido e aerosol

Para estes casos também utilizamos filtros coalescentes com meio filtrante em microfibra de borossilicato. É o mesmo filtro utilizado para o particulado.

Dependendo do grau de filtração poderemos reter de 0,5 até 0,0001mg/m3 de residual de óleo (tanto líquido quanto aerossol).

O pré filtro normalmente retém óleo líquido e o pós filtro, aerossóis de óleo.

Exemplo

Vamos imaginar um arraste de óleo baseado nas informações já elencadas:

Após esta demonstração de cálculo do arraste do óleo, podemos ter este valor na maioria das indústrias sem fazer nenhuma conta.

Perguntemos quanto de óleo o lubrificador dos compressores completa por período para manter o nível máximo no cárter do compressor.  A resposta virá medida em volume por tempo.

Para entender melhor o que é coalescência e como o filtro coalescente funciona, veja a imagem abaixo:

Nesta imagem vemos que tudo acontece ao mesmo tempo dentro dos filtros coalescentes:

  1. Retenção: o particulado e/ou óleo encontram uma barreira e são parados pela microfibra do elemento filtrante
  2. Coalescência: na microfibra as gotículas de óleo se juntam por atração  formando uma gota maior com um peso maior
  3. Arraste: como estas gotas são mais pesadas, elas vão arrastando as menores da microfibra para manta do elemento filtrante
  4. Gravitação: após o arraste do líquido para manta do elemento por gravitação, o líquido vai para o fundo do elemento para ser drenado

Nota: para que o filtro coalescente seja eficiente, o dreno deve estar em perfeito funcionamento, limpo e desobstruído, pois do contrário, o que se pretende eliminar fica dentro do sistema!!!

Vapor de óleo

Da mesma forma que ar atmosférico, o ar após a compressão por compressores lubrificados contém vapor de óleo.

Esse vapor chegará aos sistemas de ar comprimido causando odores (cheiro de óleo). Consequentemente, esses vapores contaminarão determinadas aplicações, como por exemplo:

  • ar comprimido em contato com alimentos, medicações ou cosméticos
  • ar comprimido em sistemas de respiração, como em hospitais
  • ar comprimido mandado para respiração em processos de jateamento ou limpeza interna de reservatórios/esferas
Filtros de carvão ativado

Para eliminar o vapor de óleo presente no ar comprimido utilizamos filtros de carvão ativado moído, aumentando a área de contato. Este carvão tem poros do mesmo tamanho das moléculas de vapor de óleo que faz a adsorção (retenção das moléculas nos poros).

Os filtros de carvão duram em torno de 1000 h @21ºC.  menos do que os coalescente. Precisam de sistemas de pré/pós filtragem e ar seco antes deles. Desta forma conseguimos, portanto, umas concentrações de vapor de óleo após os filtros de carvão ativado na ordem de <0,003 mg/m3.

Como é feita a remoção do óleo do sistema de ar comprimido

Siga, Curta, Compartilhe!